Marketingdevarejooguiacomasmelhoresestrategias

Marketing de varejo: o guia com as melhores estratégias

Promover negócios e produtos, manter a relação com o consumidor e fortalecer marcas no mercado. O marketing tem seu papel bastante claro na maioria das vezes, no entanto, ele tem diferentes aplicações, para distintos segmentos de mercado. Em meio a isso, o marketing de varejo é uma dessas vertentes, essa com foco na potencialização da propaganda nos pontos de venda.

Com a chegada do digital, o marketing tradicional perdeu um pouco de força e tem um percentual menor de ativação. Ainda assim, pontos físicos são importantes para comércios, ou até mesmo para marcas que têm seus produtos à venda nesses locais. Por isso, tornar o ponto físico interessante ao consumidor e proporcionar uma experiência de destaque é necessário.

Neste conteúdo você entenderá detalhadamente o que é o marketing de varejo e como desenvolver estratégias nesse segmento. Entenda suas vantagens e como aplicá-lo!

O que é o marketing de varejo?

O conceito de marketing, como mostramos na introdução, é o mesmo para qualquer área. No entanto, a aplicação precisa ser segmentada para atender às particularidades de cada tipo de negócio. Hoje, quando falamos de vendas, naturalmente pensamos no varejo online, que se vale do marketing digital. O varejo tradicional, especificamente, tem sua própria abordagem.

O marketing de varejo é essa variação voltada para considerar as necessidades de um comércio, mas considerando suas características relacionadas a um ponto de venda. Um local fixo em que o consumidor entra, escolhe seus produtos, tira dúvidas e compra tem hoje necessidades bem específicas.

Em meio a essa demanda, o marketing de varejo é responsável por propor uma forma eficaz de lidar com esse consumidor. Para isso, são projetadas ações que, mais do que apresentar produtos, são fundamentais para ativar marcas e gerar envolvimento. Tecnologia, atendimento de excelência, interação e outros pontos geram uma experiência completa.

O papel do marketing de varejo é tornar o ponto de venda o ambiente perfeito para que o consumidor esteja sempre motivado a retornar. Isso só se alcança quando há, concretamente, essa oferta de uma experiência de destaque e que proporcionará um momento único.

Como funciona esse abordagem?

O marketing de varejo tem uma amplitude de bases que são desenvolvidas para gerar essa experiência perfeita no ponto de venda. Assim como outras vertentes, há a necessidade de falar de marca, produto e atendimento. Se cada um desses pontos é fortalecido, naturalmente um bom marketing é realizado, graças a diversas ações que contribuem para a imagem da empresa.

É preciso, no entanto, considerar o contexto atual do varejo e como o marketing lida com essas mudanças. O crescimento do digital e do online, com a chegada de e-commerces e marketplaces, gerou a necessidade de otimizar esse trabalho de marketing de varejo físico.

A abordagem atual foi influenciada por essas mudanças e, para lidar da melhor forma, ela tem alguns pilares de desenvolvimento, são eles: o produto, o ponto de venda, o consumidor e a exposição de marca. Quando exploradas em conjunto, essas bases geram um marketing de varejo poderoso.

Produto

Por mais que o cliente esteja mais exigente e espere uma relação mais completa com as marcas, o produto nunca deixará de ser um fator decisivo. Para que ele alcance esse status, no entanto, muito precisa ser feito no sentido de trabalhar sua promoção. Naturalmente, a qualidade associada ao seu custo é um ponto fundamental, mas é preciso ir além para envolver o consumidor.

É nesse ponto que entra um conceito chamado trade marketing. Trata-se do planejamento e da execução da distribuição de produtos em um ponto de venda. É um trabalho de organização em prateleiras e de valorização do design e da aparência dos itens, de modo que isso seja um fator capaz de chamar atenção.

Esse trabalho com o produto no ponto de venda também considera a preferência do público em relação a ele. O design de uma nova embalagem, por exemplo, precisa ser feito de acordo com as expectativas do consumidor médio daquela marca. Isso garante que ele seja ainda mais atrativo no varejo.

Ponto de venda

O ponto de venda é uma das bases mais importantes do marketing de varejo, uma vez que é a característica principal de uma loja física. Por isso, há a necessidade de transformar esse ponto em um local totalmente capaz de gerar o desejo de consumo no público-alvo. Há muitos pontos que são avaliados na hora de construir esse ambiente propício.

O marketing de varejo preza por implementar nesses pontos de venda alguns detalhes importantes, como:

  • um design que se comunique bem com o público e seja bem-conceituado;
  • a ativação de sentidos do consumidor, com perfumes, playlists, ativações visuais, degustações de bebidas e comidas, entre outras possibilidades;
  • interação com exposições de produtos ou totens e tablets que permitem se informar sobre eles;
  • ações de marketing que tragam itens chamativos para gôndolas ou até mesmo vitrines.

Ao considerar e aplicar todos esses conceitos, independentemente do tipo de comércio e de seu tamanho, é possível gerar um ambiente convidativo. Em condições positivas como essas citadas, as chances de aumento das vendas no varejo cresce consideravelmente.

Consumidor

Para implementar um design interessante, dispositivos e recursos sensoriais, além de outros recursos, é necessário conhecer bem o consumidor. Ele é o ponto de partida de qualquer trabalho para otimizar a forma como o marketing de varejo é aplicado em um estabelecimento.

Suas preferências, seus hábitos de consumo, sua condição socioeconômica e todos os outros detalhes relacionados a ele precisam ser detectados. Uma parte importante desse trabalho, no entanto, é feita no próprio relacionamento comercial nesses pontos de venda. Pesquisas de satisfação, por exemplo, são ótimas formas de recolher opiniões e feedbacks para melhorias.

O consumidor é a base do negócio e, para fazer o varejo físico se destacar, é importante conhecer o que faz o público seguir comprando pessoalmente. A possibilidade do online é altamente atrativa e tem captado um volume de compras considerável. Diante disso, o marketing de varejo pode ser mais preciso e eficaz se considerar o que o consumidor espera.

Qual é a importância do marketing de varejo?

Em meio a um período em que o digital cresce e o online é uma plataforma natural de consumo, muitos entendem que o marketing de varejo é uma questão de sobrevivência. No entanto, esse ponto de vista não mostra a realidade da necessidade de fortalecimento dos pontos de venda. A cultura do varejo tradicional não precisa ser salva, e sim valorizada e otimizada.

Por mais que a internet seja um grande facilitador, é difícil ver um futuro em que existam pouquíssimos ou quase nenhum comércio físico. Lojas em shoppings, pontos urbanos, supermercados e muitos outros estabelecimentos são e continuarão sendo fundamentais.

A questão é que, em segmentos em que as compras online são mais comuns, é redobrada a necessidade de otimizar o negócio em pontos de venda. Do outro lado, comércios que ainda são mais fortes fisicamente precisam ser cada vez mais atrativos, como estratégia comum de fortalecimento de um negócio.

Em qualquer uma dessas perspectivas, o marketing de varejo tem uma grande importância. Ele ajuda a entender o público, estudar o mercado e agir a partir disso, além de desenvolver a marca. Entenda como todos esses pontos se refletem em um ponto de venda diferenciado e conheça a importância dessa vertente do marketing!

Proporciona maior entendimento do consumidor

O marketing de varejo depende diretamente do estudo e entendimento do consumidor e de como ele se comporta. Suas preferências de consumo, seus hábitos ao lidar com marcas e sua capacidade de compra são os fatores que mais impactam a maneira como um varejista projeta seu negócio.

Nesse caminho, o marketing de varejo é de grande ajuda para que marcas sejam capazes de entender profundamente o consumidor. A partir disso, fica muito mais fácil projetar ações de marketing e uma experiência de consumo ainda mais completa, especialmente quando se trata de varejo físico.

Ajuda na competitividade e gera fidelização com base no que o mercado exige

O mercado também é um indicador importante para que varejistas entendam o que podem fazer pelas suas marcas e estabelecimentos. A competitividade passa por observar o que outros concorrentes fazem e, a partir daí, projetar melhorias que coloquem em posição de disputa.

Estar entre os varejistas capazes de entregar o máximo ao consumidor é uma posição de objetivo. Esse é o início de um trabalho competente e que gera a fidelização. Quanto mais uma empresa conhece seu consumidor e o que ele exige, maior a capacidade de gerar um ambiente convidativo. Com preços, produtos, serviços, ponto de venda e atendimento satisfatórios, vem a fidelização.

Propõe a inovação no ponto de venda

A inovação é parte de uma série de detalhes que realmente fazem diferença na relação com o público. Mais do que investir em recursos que sejam chamativos, o marketing de varejo traz a proposta de ampliar a inovação de forma funcional. É importante que ela agregue à experiência no ponto de venda.

Nesses locais, a inovação serve para facilitar o público na consulta a um preço, na redução de filas em supermercados, no entendimento das características de um produto e até no atendimento. Inovar é a melhor forma de tornar o varejo mais convidativo, o que é importante para gerar a fidelização.

Fortalece a marca

O trabalho do marketing de varejo também tem grande importância a partir do momento em que ele aumenta a interação com o público e o produto. Esse cenário perfeito é o que gera o fortalecimento de marca. No caso, ela se torna capaz de desenvolver produtos bem aceitos pelo público, algo que é fruto desse entendimento do consumidor que o marketing proporciona.

A partir disso, há um ambiente já quase encaminhado para que tudo aconteça com maior naturalidade. Na prática, marcas fortalecidas têm um público mais propenso ao consumo e, quando ele se depara com pontos de venda fortes, a tendência é essa relação se solidificar ainda mais.

Quais são as vantagens para seu negócio?

Estabelecer o marketing com a proposta de valorizar e desenvolver o varejo como modelo de negócio traz vantagens estratégicas. Os resultados, naturalmente, são o ponto mais importante e que comprovam de maneira concreta como esse trabalho faz toda diferença para um negócio.

Além disso, há a necessidade de fortalecer aquele ponto de venda, independentemente se a marca concentra sua atuação nele ou não. Em qualquer caso, ter um local atrativo, forte e que proporcione a experiência certa é muito benéfico. A seguir, entenda melhor as vantagens de estabelecer e implementar essas ações.

Aumento das vendas

Um marketing bem aplicado traz mais vendas. A relação é quase natural e , por ser tão positiva, gera uma vantagem excelente para qualquer negócio. Não há muito mistério nessa análise: se o varejo tem os elementos que mais atraem e geram impacto no consumidor, a tendência é que esse ambiente adequado proporcione mais vendas.

Dessa maneira, durante uma etapa de planejamento de marketing, o aumento das vendas pode ser incluído como um objetivo estratégico para a empresa. Se ela trabalha com o online e o varejo físico, é praticamente certo o fato de que haverá aumento de faturamento e, ao checar os resultados, a detecção é que muitas dessas vendas vêm do ponto de venda.

Fortalecimento do varejo físico

Uma grande vantagem que o marketing de varejo proporciona é a possibilidade de ter o ponto de venda físico como uma opção realmente lucrativa. Mais do que isso, ter a loja como uma vertente segura faz toda diferença. No período atual em que o online é forte, gerar a competitividade com pontos fixos em boas localidades é fundamental.

Não importa o tamanho da empresa, ou seja, se falamos de grandes redes varejistas, lojas de grande porte ou comércios locais. Todos esses conceitos de otimização que você conferiu ao longo deste conteúdo são decisivos para ter um ponto de venda forte. O marketing de varejo traz todo esse pacote de melhorias à tona, gerando a ideia de que aquele local é diferenciado.

Ampliar os canais de vendas

É sempre importante destacar aquelas marcas que trabalham nos dois canais: online e offline. Sendo assim, e-commerces e o ponto de venda são as duas plataformas de relação com o público e de entrada de faturamento. Outro importante fenômeno comercial que marca os dias atuais é o fato de muitas marcas surgirem originalmente no ambiente online.

Os baixos custos de manutenção e a gestão desses sites são atrativos e, na maioria das vezes, decisivos para que empresas se mantenham operando somente neles. No entanto, o marketing de varejo mostra como é possível ter pontos de venda otimizados e que serão capazes de, por meio do faturamento, se manterem e ainda abrirem mais uma plataforma de comércio.

Como elaborar sua estratégia de marketing de varejo?

Uma boa estratégia de marketing de varejo é necessária para que a marca siga por um trajeto em que realmente seja possível visualizar um horizonte de resultados. Não basta conhecer todos os conceitos que você viu até aqui, mas é necessário estruturá-los em um caminho seguro.

O planejamento passa por entender, primeiramente, o que a empresa deseja alcançar. Vendas, fidelização, aumento do público, entre outros objetivos. Depois disso, há algumas ideias básicas e fundamentais que precisam ser aplicadas. A seguir, entenda as principais e como elas ajudam a desenvolver uma estratégia sólida.

Integre digital e ponto de venda

O varejo físico deve estar integrado ao varejo digital, ou apenas aos recursos que a web proporciona. São várias as possibilidades de fazer isso, em caminhos que tornem a experiência de consumo ainda mais bem desenvolvida, atrativa e vantajosa ao consumidor.

O SEO local é uma dessas possibilidades. Se trata de posicionar um ponto físico na web de maneira que suas informações fiquem disponíveis a partir de uma pesquisa no Google. Assim, um usuário que faz uma busca relacionada ao negócio, e está próximo do local onde ele está, recebe as informações básicas do ponto de venda, como endereço, telefone, entre outros.

Há ainda a possibilidade de integrar e-commerce e loja física. A opção de comprar online e retirar fisicamente é um exemplo. O consumidor pode chegar ao local e ainda experimentar, por exemplo, uma roupa. É uma possibilidade que dá mais comodidade e poder de escolha ao consumidor, algo que é muito valorizado na experiência de consumo.

Conheça a fundo seu público

Para ter uma estratégia eficaz e certeira, é necessário conhecer a fundo o público da empresa. Por mais que se saiba como se constrói um varejo físico atrativo, todos esses pontos passam pela adequação ao público-alvo daquela marca.

Uma loja moderna e conceitual custa caro e reflete nos preços, porém se seu público não tem tanto poderio financeiro, não faz sentido adotar esse caminho. Nesse caso, é necessário buscar sim a excelência, mas por caminhos que tornem essa relação custo-benefício mais bem pensada.

O público é que vai direcionar para a abordagem no atendimento, o planejamento do design de produto e arquitetura de loja, a disponibilidade de interação nesse local, além de outros pontos. Uma estratégia de marketing de varejo deve ser adequada ao público, assim como em qualquer outro segmento.

Planejar a estratégia baseada em tecnologia

Uma estratégia de marketing de varejo, no cenário atual, precisa ser pensada com base na tecnologia. São esses recursos que ajudarão, primeiramente, a gerir dados sobre consumidores e a maneira como eles se comportam na relação de consumo com as marcas. Esse é um ponto de partida interessante e que faz toda diferença.

Além disso, há a necessidade de proporcionar a experiência de destaque no ponto de venda. A tecnologia aparece de diversas formas, em vários momentos, como um facilitador. No atendimento, no pagamento e na interação com produtos, recursos diversos diminuem o tempo de permanecimento na loja, o que pode ser atrativo ao cliente.

A tecnologia, por meio da mensuração de resultados, também ajuda a ter base para melhorias diante do que é detectado. O trabalho com dados, por exemplo, permite gerar relatórios de resultados que serão a base para que gestores tomem decisões. Esse é o cenário de desenvolvimento do varejo, apoiado pela tecnologia do marketing.

Como utilizar a tecnologia no marketing de varejo?

Tecnologia e marketing não se separam mais! Hoje, para planejar, desenvolver e aplicar estratégias de ponta é necessário ter ferramentas que ajudem nessas etapas. Os recursos atuais também são fundamentais na aplicação no varejo, especialmente com a finalidade de melhorar a experiência no ponto de venda. Veja como essas ferramentas são utilizadas a seguir!

Softwares de varejo

O software de varejo é o que vai manter um ponto de venda funcionando de forma dinâmica, em suas demandas de gestão e operação. Essas ferramentas são desenvolvidas para dar suporte em toda rotina nas quais colaboradores precisam se preocupar, sendo as principais:

  • gestão de estoque;
  • controle financeiro;
  • acompanhamento de vendas e pedidos de compra;
  • emissão de notas fiscais;
  • cadastro de produtos e fornecedores.

Toda essa operação vai gerar dados que poderão ser analisados futuramente, indo além da operação em tempo real no funcionamento do estabelecimento. A partir desses registros gerados, é possível realizar melhorias estratégicas para o desenvolvimento do negócio no varejo.

Totens de autoatendimento

Os totens de autoatendimento não são nenhuma novidade, mas têm ajudado lojas a manterem a dinâmica, mesmo com altos volumes de consumidores. Algumas até mesmo estão substituindo parte dessas pessoas por mais totens, em que o próprio consumidor checa as informações e seleciona pedidos que são feitos à loja.

Os totens podem ser usados em diferentes níveis, mas o ideal é que eles gerem interação com o público. Além de serem informativos e servirem como ferramenta de atendimento, também podem ajudar a recolher dados importantes do consumidor, para gerar contatos futuros. Nesses totens também é possível implementar pequenas pesquisas de satisfação, visando base para melhorias.

Self-checkout

O self-checkout é outra possibilidade que mostra como a tecnologia já se aplica muito bem no marketing de varejo. A proposta é simples: facilitar a experiência de compra dentro da loja. Justamente por isso, é possível colocar esse elemento como parte de uma estratégia de marketing, já que é um recurso com alta capacidade de fidelizar.

Funciona de maneira simples: o consumidor entra na loja, geralmente farmácias, supermercados ou comércios que vendem produtos em que o público os acessa em prateleiras, escolhe o que vai levar e, sozinho, realiza o pagamento nessas plataformas. Elas leem os códigos de barra, mostram o preço total da compra e permitem o pagamento por meio de cartão de crédito ou débito.

O marketing de varejo é uma necessidade para empresas que querem ter pontos de venda que se destaquem e sejam capazes de atrair e fidelizar consumidores. Com uma estratégia bem definida e baseada nos conceitos que você viu neste conteúdo, é possível ter bons resultados!

Falando de ponto de venda, saiba como escolher um bom sistema de self-checkout e veja como implementá-lo em um supermercado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *